5. Impactos socioeconômicos da prática clínica farmacêutica

Matheus Lopes de Almeida Cândido

Resumo


Medicamentos são utilizados desde o início das eras, quando o ser humano buscava alívio para as moléstias que o afligiam. Porém, seu uso irracional gera os chamados de PRMs e RNMs, que, por sua vez, geram problemas de saúde, muitas vezes relacionados com o desenvolvimento de morbimortalidades tratadas de maneira ineficiente. Como resultado, o que se tem são consultas de emergência e internações hospitalares, que constituem problemas de saúde pública. O objetivo neste trabalho é evidenciar que o farmacêutico comunitário é um profissional de saúde necessário para a atenção básica e para a promoção do uso racional de medicamentos. A prática da atenção farmacêutica tem grande poder na solução problemas relacionados ao uso de medicamentos. Além disso, buscou-se mostrar que as mudanças legislativas transformaram a farmácia em um potencial estabelecimento de saúde, que têm no farmacêutico um protagonista na prevenção, promoção e recuperação da saúde.

Palavras-Chave: Farmacêutico; Farmácia Comunitária; Saúde Pública; Estabelecimento de Saúde, Atenção Básica.

 

Abstract: Medicines have been used since the beginning of the ages, when human beings sought relief from the diseases that afflicted them. However, its irrational use generates so-called DRPs and ADRs, which, in turn, generate health problems, often related to the development of morbidity and mortality treated inefficiently. As a result, what we have are emergency consultations and hospital admissions, which are public health problems. The objective of this work is to show that the community pharmacist is a necessary health professional for primary care and for the promotion of the rational use of medicines. The practice of pharmaceutical care has great power in solving problems related to the use of medicines. In addition, we sought to show that legislative changes have transformed the pharmacy into a potential health establishment, with the pharmacist as a protagonist in the prevention, promotion and recovery of health.

Keywords:  Pharmacist; Community Pharmacy; Public Health; Health Facility; Primary Care.


Texto completo:

PDF

Referências


ANGONESI, Daniela; RENNÓ, Marcela Unes Pereira. Dispensação farmacêutica: proposta de um modelo para a prática. Ciência & Saúde Coletiva, Nova Granada, v. 16, n. 9, p. 3883-91, 2011.

BRASIL. Decreto nº 7.508, De 28 de junho de 2011. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7508.htm. Acesso em: 16 nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.021 de 8 de agosto de 2014. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13021.htm. Acesso em: 13 fev. 2019.

BRASIL. Resolução Da Diretoria Colegiada – RDC Nº 44, De 17 de agosto de 2009. Agência de Vigilância Sanitária, 2009a. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2718376/RDC_44_2009_COMP.pdf/2180ce5f-64bb-4062-a82f-4d9fa343c06e. Acesso em: 14 fev. 2019.

BRASIL. Resolução n° 449 de 17 de dezembro de 2008. Conselho Federal de Farmácia, 2008. Disponível em: https://cff-br.implanta.net.br/PortalTransparencia/Publico/ArquivosAnexos/Download?idArquivoAnexo=ddcfa103-7a61-4be2-b351-f165f9ed2e4f. Acesso em: 14 nov. 2019.

BRASIL. Resolução n° 516 de 26 de novembro de 2009. Conselho Federal de Farmácia, 2009b. Disponível em: https://cff-br.implanta.net.br/PortalTransparencia/Publico/ArquivosAnexos/Download?idArquivoAnexo=a209b6cd-7714-4094-9fb3-2bdc7c6a02b9. Acesso em: 14 nov. 2019.

BRASIL. Resolução n° 585 de 29 de agosto de 2013. Conselho Federal de Farmácia, 2013a. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/585.pdf. Acesso em: 14 fev. 2019.

BRASIL. Resolução n° 586 de 29 de agosto de 2013. Conselho Federal de Farmácia, 2013b. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/noticias/Resolu%C3%A7%C3%A3o586_13.pdf. Acesso em: 14 fev. 2019.

BRASIL. Resolução n° 654 de 22 de fevereiro de 2018. Conselho Federal de Farmácia, 2018. Disponível em https://cff-br.implanta.net.br/PortalTransparencia/Publico/ArquivosAnexos/Download?idArquivoAnexo=6b001bab-75da-43b3-a080-b12e78e628cf. Acesso em: 14 fev. 2019.

BREWER, Noel T et al. Pharmacist Authority to Provide HPV Vaccine: Novel Partners in Cervical Cancer Prevention. Gynecologic oncology, Columbia v. 132, supp, p. 3-8, 2014.

CALLEJÓN, Gádor Callejón. Resultados negativos asociados a la medicación (RNM) que causan consultas en el servicio de urgencias de un hospital de tercer nivel. 2012. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Universidad de La Laguna, San Cristóbal de La Laguna, 2012.

COLLUCCI, Cláudia. Quase 80% dos brasileiros se automedicam, diz pesquisa Datafolha: maioria no país se automedica até quando tem receita médica. Folha de São Paulo, São Paulo, ano 99, n. 32896, 27 abr. 2019. Equilíbrio e Saúde, p. B9. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2019/04/quase-80-dos-brasileiros-se-automedicam-diz-pesquisa-datafolha.shtml. Acesso em: 29 ago. 2019.

COMITÉ DE CONSENSO. Tercer Consenso de Granada sobre problemas relacionados con medicamentos (PRM) y resultados negativos asociados a la medicación (RNM). Ars. Pharmaceutica, Granada, v. 48, n. 1, p. 5-17, 2007.

CONSELHO ESTADUAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CRF-SP). Saúde Pública. 3 ed. São Paulo: Conselho Estadual de Farmácia do Estado de São Paulo, 2019.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Prescrição Farmacêutica e Atribuições Clínicas do Farmacêutico: Recompilação de documentos. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 2013.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Serviços farmacêuticos diretamente destinados ao paciente, à família e à comunidade: contextualização e arcabouço conceitual. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 2016.

CORRER, Cassyano J., OTUKI. Michel F. A prática farmacêutica na farmácia comunitária. Porto Alegre: Artmed, 2013.

FERNANDES, Wendel Simões; CEMBRANELLI, Júlio César. Automedicação e o uso irracional de medicamentos: o papel do profissional farmacêutico no combate a essas práticas. Revista Univap, v. 21, n. 37, p. 5-12, 2015.

FREITAS, Gabriel Rodrigues Martins de et al. Economic Impact of Emergency Visits Due to Drug-Related Morbidity on a Brazilian Hospital. Value in Health Regional Issues, v. 14, suppl, p. 1-8, 2017.

GERLACK, Leticia Farias; WERLANG, Maria Cristina; BÓS, Ângelo José Gonçalves. Problemas relacionados ao uso de medicamentos em idosos atendidos em ambulatório multiprofissional de hospital universitário no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 6, n. 1, p. 13-17, 2015.

HOHL, Corinne M. et al. Do Emergency Physicians Attribute Drug-Related Emergency Department Visits to Medication-Related Problems? Annals of Emergency Medicine, v. 55, n. 6, p. 493-502, 2010.

HUSZCZ, Renata Silveira; SATO, Marcelo del Olmo; SANTIAGO, Ronise Martins. Consultório farmacêutico: atuação do farmacêutico no SUS. Revista Saúde e Desenvolvimento, Curitiba, v. 12, n. 10, p. 144-159, 2018.

JACINTO, Isabel Pimenta et al. Serviço de vacinação nas farmácias portuguesas. Revista Portuguesa De Farmacoterapia, Lisboa, v. 7, n. 3, p. 13-19, 2015.

LAZAROU, Jason; POMERANZ, Bruce H.; COREY, Paul N. Incidence of adverse drug reactions in hospitalized patients: a meta-analysis of prospective studies. Jama, Toronto, v. 279, n. 15, p. 1200-1205, 1998.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política Nacional De Medicamentos. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Unidades Básicas de Saúde – UBS. 2016. Disponível em: http://dados.gov.br/dataset/unidades-basicas-de-saude-ubs. Acesso em: 15 nov. 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE/DATASUS. Morbidade Hospitalar do SUS – Por Local de Internação – Brasil. 2019. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def. Acesso em: 11 nov. 2019.

NASCIMENTO, Renata Cristina Rezende Macedo do et al. Polifarmácia: uma realidade na atenção primária do Sistema Único de Saúde. Rev. Saúde Pública, v. 51, suppl 2, 2017.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. O Papel do Farmacêutico do Sistema de Atenção à Saúde - Boas Práticas em Farmácia (BPF) em ambientes comunitários e hospitalares. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2004.

PAPASTERGIOU, John et al. Community Pharmacist–Administered Influenza Immunization Improves Patient Access to Vaccination. Canadian Pharmacists Journal, Toronto, v. 147, n. 6, p. 359-365, 2014.

PATEL, Payal; ZED, Peter J. Drug‐Related Visits to the Emergency Department: How Big Is the Problem? Pharmacotherapy: The Journal of Human Pharmacology and Drug Therapy, Lenexa, v. 22, n. 7, p. 915-923, 2002.

SANTANA, Kamila dos Santos, et al. O papel do profissional farmacêutico na promoção da saúde e do uso racional de medicamentos. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes, v. 9, n. 1, p. 399-412, 2018.

SINITOX. Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Tabela 6. Casos registrados de intoxicação humana por agente tóxico e circunstância. Brasil, 2017. Rio de Janeiro, Fundação Oswaldo Cruz/Centro de Informação Científica e Tecnológica, 2019. Disponível em: https://sinitox.icict.fiocruz.br/sites/sinitox.icict.fiocruz.br/files//Brasil6.pdf. Acesso em: 31 ago. 2019.

SOUZA, Lysandra Barbosa de et al. Importância do farmacêutico clínico no uso seguro e racional de medicamentos no âmbito hospitalar. Revista Pensar Acadêmico, v. 16, n. 1, p. 109-124, 2018.

WANG, Junling et al. Effect of Pharmacist Intervention on Herpes Zoster Vaccination in Community Pharmacies. Journal of the American Pharmacists Association, Tennesse, v. 53, n. 1, p. 46-53, 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Medicines: Rational Use of Medicines. Geneva: World Health Organization, v. 3, 2010. Disponível em: http: //www.who.int/mediacentre/factsshee/fs338/em/print.html. Acesso em: 29 ago. 2019.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Rational Use of Drugs: Report of the Conference of Experts. World Health Organization, Nairobi 1985. Geneva 1987.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Role of the Pharmacist in Self-Care and Self-Medication. The Hangue: World Health Organization, 1998. Disponível em: http://apps.who.int/medicinedocs/pdf/whozip32e/whozip32e.pdf. Acesso em: 07 nov. 2019.

ZED, Peter J. et al. Medication-Related Emergency Department Visits and Hospital Admissions in Pediatric Patients: A Qualitative Systematic Review. The Journal of pediatrics, v. 163, n. 2, p. 477-483, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.