A leitura e o ensino de literatura do Espírito Santo no ensino médio: tensões e divergências

Roney Jesus Ribeiro

Resumo


Discutir o ensino de literatura muitas vezes pode parecer uma tarefa desnecessária, dado ao fato de muitas pessoas o imaginarem como instrumento de entretenimento e não de formação. Ao contrário do que se pensa, sabemos que, se a literatura for apresentada de modo atraente, pode fazer com que o aluno desperte o gosto pela leitura. Para o ensino das manifestações culturais e literárias, propomos aqui uma reflexão sobre ensino e leitura de literatura do Espírito Santo em salas de aula do ensino médio. Dessa forma, pretendemos tratar como a literatura regional é inserida no ensino médio estadual e o que orienta o Currículo Básico das Escolas Estaduais do Espírito Santo (CBEE-ES) para a sistematização dos conhecimentos culturais literários produzidos no estado brasileiro do Espírito Santo em sala de aula. 

Palavras-chave: Leitura e Ensino de Literatura; CBEE-ES; Espírito Santo.

 

Abstract: Discussing the teaching of literature can often seem an unnecessary task, given that many people imagine it as an entertainment tool rather than a training tool. Contrary to popular belief, we know that if the literature is presented in a compelling way it can make the pupil arouse a taste for reading. For the teaching of cultural and literary manifestations, we propose here a reflection on the teaching and reading of literature of the Espírito Santo in high school classrooms. Thus, we intend to treat how the regional literature is inserted in the state high school and what guides the Currículo Básico das Escolas Estaduais of the Espírito Santo (CBEE-ES) to systematize literary cultural knowledge produced in the Brazilian state of Espírito Santo in the classroom.

Keywords: Reading and Teaching of the Literature; CBEE-ES; Espírito Santo.


Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Aula inaugural da cadeira de semiologia literária do Colégio de França. Pronunciada em 7 jan. 1977. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 2007.

BESSONE, Tania. A história do livro e da leitura: novas abordagens. Floema - Ano III, n.5A, p. 97-111, out. 2009.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 12. ed., São Paulo: Ouro Sobre Azul / Fapesp, 2006.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o Ensino Médio: linguagem, códigos e suas tecnologias. v.1, Brasília: Ministério da Educação: Secretaria de Educação Básica, 2006.

CEREJA, William Roberto. Ensino de Literatura: uma proposta dialógica para o trabalho com literatura. São Paulo: Atual, 2005.

ESPÍRITO SANTO (Estado). Ensino Médio: v.1 - Área de Linguagens e Códigos (Currículo Básico Escola Pública) / Secretaria de Educação. Vitória: SEDU, 2009.

LAJOLO, Marisa. O texto não é pretexto. In: ZILBERMAN, Regina (org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. 11.ed., Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993, p.51-62.

RIBEIRO, Francisco Aurelio. Para que ler literatura nos tempos atuais?. Rev. Academia Espírito-Santense de Letras. Vitória, v.4, n.1, p.11-15, set. 2012.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Trad. Caio Meira. Rio de Janeiro: Difel, 2009, p. 73-94.

ZILBERMAN, Regina. Leitura: dimensões culturais e políticas de um conceito. Nonada Letras em Revista. Porto Alegre, ano 15, n.18, p. 47-70, 2012.

ZINANI, Cecil Jeanine Albert; SANTOS, Salete Rosa Pezzi dos. Ensino de literatura: possibilidades e alternativas. Disponível em: . Acesso em: 2 dez. 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.