6. Perfil socioeconômico e sanitário em ambulatório universitário de Mogi das Cruzes e suas relações com enteroparasitoses

Camila Sampaulo de Almeida, Fernanda Liberato Modes, Mariana da Silva de Figueiredo, Karla de Lucca Barbosa de Araújo, Beatriz Machado Coppola, Henrique George Naufel

Resumo


Infecções parasitárias atingem principalmente países subdesenvolvidos, como o Brasil. O objetivo neste trabalho foi o de avaliar as condições socioeconômicas e as condições de saneamento básico, as quais contribuem para a infecção por parasitos. O Questionário ENCCEJA foi aplicado aos responsáveis por indivíduos de zero a 12 anos e diretamente aos participantes de 13 a 18 anos. O método de obtenção dos resultados foi por razão de prevalência e porcentagem. Os resultados demonstraram que 30,5% dos participantes têm renda familiar de até um salário mínimo e que 95,7% fazem dieta rica em verduras, legumes e frutas. Porém, somente 39% utilizam hipoclorito para higienização desses alimentos. Além disso, 92,6% dos participantes possuem água encanada, e desses, 34,7% não possuem filtro de água em casa. Pode-se concluir que quanto mais baixa a classe social, bem como a falta de acesso a saneamento e a água potável, mais expostos estão os indivíduos às enteroparasitoses.

Palavras-chave: Parasitose Intestinal; Prevalência de Parasitoses; Saúde Pública.

 

Abstract: Parasitic infections mainly affect underdeveloped countries, such as Brazil. The objective of this study was to evaluate the socioeconomic conditions and basic sanitation conditions, which contribute to parasite infection. The ENCCEJA Questionnaire was applied to the guardians of individuals from zero to 12 years old and directly to participants from 13 to 18 years old. The method of obtaining the results was by reason of prevalence and percentage. The results showed that 30.5% of participants have a family income of up to one minimum wage and 95.7% have a diet rich in vegetables, but only 39% use hypochlorite to clean these foods. In addition, 92.6% of participants have running water, and of these, 34.7% do not have a water filter at home. It can be concluded that the lower the social class, as well as lack of access to sanitation and drinking water, the more exposed individuals are to enteroparasitosis.

Keywords: Intestinal Parasitosis; Prevalence of Parasitosis; Health Service.


Texto completo:

PDF

Referências


BARRA, M.; BUSTOS, L.; OSSA, X. Desigualdad en la prevalencia de parasitosis intestinal en escolares de una escuela urbana y dos rurales de la comuna de Puerto Montt. Revista médica de Chile. v. 144, n. 7, p. 886-893, 2016.

BOTH, J. M. C.; LONGARAY, S. M.; AVANCINI, C. A. M. O desinfetante hipoclorito de sódio como barreira sanitária: condições de atividade frente a staphylococcus aureus isolados em alimentos envolvidos em surtos de toxinfecções alimentares. Ver. Inst. Adolfo Lutz. v. 68, n. 2, p. 254-8, 2009.

D'AGUILA, P. S.; DA CRUZ ROQUE, O. C.; MIRANDA, C. A. S.; FERREIRA, A. P. Avaliação da qualidade de água para abastecimento público do Município de Nova Iguaçu. Cadernos de Saúde Pública. v.16, n. 3, p. 791-798, 2000.

DRAKE, L. J.; BUNDY, D. A. P. Multiple Helminth Infections in Children: Impact and Control. Parasitology. v. 122, n. S1, p. S73-S81, 2001.

FERREIRA, U. M.; FERREIRA, C. S.; MONTEIRO, C. A. Tendencia secular a parasitose intestinal na infância na cidade de São Paulo. Revista de Saúde Pública. v. 34, n. 6, p. 73- 82, 2000.

FERREIRA, H. S.; ASSUNÇÃO, M. L.; MELO, F. P.; OLIVEIRA, C. G.; SANTOS, T. O. Saúde de populações marginalizadas: desnutrição, anemia e enteroparasitoses em crianças de uma favela do "Movimento dos Sem Teto", Maceió, Alagoas. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. v. 2, n. 2, p. 177-185. 2002.

FUNDAÇÃO FIOCRUZ. Glossário de doença relacionadas à água. 2010. Fiocruz. Disponível em: http://www.aguabrasil.icict.fiocruz.br/index.php?pag=doe. Acesso em: 31 mai. 2017.

GÓES, G. C. Frequência de enteroparasitos em crianças matriculadas em creches públicas da região das praias da baía do município de Niterói/RJ: investigação por métodos coproparasitológicos e imunológicos. Trabalho de Conclusão de Curso de pós-graduação stricto sensu em microbiologia e parasitologia aplicadas, 2017.

GROSS, A. A.; SILVA, G. K. Incidência de enteroparasitos intestinais em uma escola infantil pública e uma escola infantil comunitária, em um município no interior do Rio Grande do Sul. Revista Destaques Acadêmicos. v. 8, n. 3, 2016.

GURGEL, Q. R.; CARDOSO, S. G.; SILVA, M. A.; SANTOS, N. L.; OLIVEIRA, V. C. R. Creche: ambiente expositor ou protetor nas infecções por parasitas intestinais em Aracaju. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. v. 38, n. 3., p.267-269, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Divisão de classes socioeconômicas. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/conceitos.shtm#mag. Acesso em: 31 mai. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDO E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Questionário socioeconômico. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/encceja/questionario_socioeconomico/2013/questionario_socioeconomico_encceja_2013.pdf. Acesso em: 31 mai. 2017.

MELO, E. M.; FERRAZ, F. N.; ALEIXO, D. L. Importância do estudo da prevalência de parasitos intestinais de crianças em idade escolar. SaBios-Revista de Saúde e Biologia. v. 5, n. 1, 2010.

OPRYSZKO, M. C.; GUO, Y.; MACDONALD, L.; MACDONALD, L.; KIILH, S, SCHWAB K. J. Impact of Water Vending Kiosks and Hygiene Education on Households Drinking Water Quality in Rural Ghana. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene. v. 88, n. 4, p. 651-660, 2013.

PINHEIRO, P. L. Enteroparasitoses na infância, seus determinantes sociais e principais consequências: uma revisão bibliográfica. Trabalho de conclusão de curso - Universidade Federal de Minas Gerais. 2011.

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE – CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Portaria CVS-7. 1992. Disponível em: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/E_PT-CVS-07_160392.pdf. Acesso em: 5 jun. 2018.

SIQUEIRA, L. O.; ALBARELLO, K.; YOUNES, S.; HAHN, S. Diagnóstico de anemia e parasitoses em crianças em situação de vulnerabilidade social. Revista Diálogos. v. 16, n. 2, 2013.

SOBRINHO, L. I. C.; COELHO, F. A. S.; COELHO, M. D. G. Eficácia de velas filtrantes na retenção de cistos de giardia duodenalis em água experimentalmente contaminada. Rev. Ambient. Água. vol. 11, n. 2, p. 439-447 ,2016.

SUZUKI, H. U.; MORAIS, M. B.; MEDEIROS, E. H. G.; CORRAL, J. N. E; FAGUNDES NETO, U. Limitations in the Diagnosis of Giardia Lambia Utilizing Duodenal Secretion. Arq. Gastroenterol. v. 31, n. 2, p. 69-74, 1994.

TEIXEIRA, J. C.; HELLER, L. Fatores ambientais associados às helmintoses intestinais em áreas de assentamento subnormal. Eng. Sanit. Ambiente. v. 9, n.4, p. 301-305, 2004.

WANG, T.; FAN, Y.; KOEHLER, A. V.; MA, G.; LI, T.; HU, M.; GASSER, R. B. First Survey of Cryptosporidium, Giardia and Enterocytozoon in Diarrhoeic Children from Wuhan, China. Infection, Genetics and Evolution. v. 51, p. 127-131, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.