12. Os impactos do processo de estruturação de uma empresa familiar de transporte em seu clima organizacional

Autores

  • Thábata Aguiar Rugai Universidade Mogi das Cruzes
  • Ana Claudia Ferreira de Jesus Lima Universidade Mogi das Cruzes
  • Bianca Martins Oliveira Universidade Mogi das Cruzes
  • Danilo Alves Universidade Mogi das Cruzes
  • Janaina Fernanda Santos Borges Universidade Mogi das Cruzes

Resumo

Por meio do presente trabalho objetiva-se demonstrar os impactos no clima organizacional de uma empresa familiar, causados pelo processo de estruturação organizacional de uma nova gestão. Nessa perspectiva, o estudo é embasado pelas questões teóricas relacionadas, citadas por autores que fornecem elementos para a compreensão dos possíveis impactos resultantes do processo de estruturação e de profissionalização de uma empresa familiar. Os procedimentos metodológicos são fundamentados por um estudo descritivo qualitativo documental, cujos dados foram obtidos a partir da análise dos resultados advindos de uma pesquisa de clima organizacional aplicado a uma empresa no ano de 2017. Os resultados mostram que o processo de estruturação, e profissionalização de uma empresa familiar, é uma mudança que pode ocasionar impactos negativos, como insegurança e resistência dos funcionários, quando não são preparados e informados sobre as etapas e objetivos deste processo.

Palavras Chaves: Profissionalização; Empresa Familiar; Clima Organizacional.

 

Abstract: This paper aims to demonstrate the impacts on the organizational climate of a family business, caused by the organizational structuring process of a new management. In this perspective, the study is based on the related theoretical questions, cited by authors that provide elements for the understanding of the possible impacts resulting from the structuring process and professionalization of a family business. The methodological procedures are based on a qualitative descriptive documentary, whose data were obtained from an analysis of the results of an organizational climate survey applied to a company in 2017. The results show that the process of structuring and professionalizing a family business is a change that can cause negative impacts, such as employee insecurity and resistance, when they are not prepared and informed of the steps and objectives of this process. 

Keywords: Professionalization; Family Business; Organizational Climate.

Biografia do Autor

Thábata Aguiar Rugai, Universidade Mogi das Cruzes

Profissional com mais de vinte anos de experiência em Gestão da Qualidade e em Gestão de Recursos Humanos, sendo responsável pela administração da Certificação ISO 9001 em empresas de grande porte na região, consultora e palestrante, ministra cursos sobre interpretação da Norma ISO 9001, Cursos de Auditorias da Qualidade e cursos pertinentes a área de RH. Possui Especialização em Gestão e Auditoria Ambiental pela Universidade Paulista (2005), Graduação em Gestão de Qualidade e Produtividade pela Universidade de Mogi das Cruzes (2004), Auditora Líder formada pelo BVQI certificado reconhecido pelo IRCA (Inglaterra), Auditora do Sistema da Qualidade formada pela Fundação Vanzolini (USP) e Graduação em Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Mogi das Cruzes (1998). Atualmente é professora da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) em diversos cursos de Graduação e Pós Graduação, nas disciplinas de Qualidade e de Recursos Humanos, na FATEC (Mogi das Cruzes) no curso de Recursos Humanos, Logística e Agronegócios em disciplinas de Gestão da Qualidade, Recursos Humanos e Comunicação e no EAD nas disciplinas de Organização Sistemas e Métodos, Sociologia das Organizações e Sociedade, Tecnologia e Inovação.

 

Ana Claudia Ferreira de Jesus Lima, Universidade Mogi das Cruzes

Tecnóloga em Gestão de Recursos Humanos

Bianca Martins Oliveira, Universidade Mogi das Cruzes

Tecnóloga em Gestão de Recursos Humanos

Danilo Alves, Universidade Mogi das Cruzes

Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos

Janaina Fernanda Santos Borges, Universidade Mogi das Cruzes

Tecnóloga em Gestão de Recursos Humanos

Referências

ALMEIDA, Stanley Pacheco; FERREIRA, Maria Cristina. Os impactos das atitudes frentes às mudanças organizacionais nos comportamentos de cidadania. Psicologia Ciência e Profissão, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932010000300005/. Acesso em: 10 nov. 2017.

ARAUJO, Luis Cesar G. de. Organização, sistemas e métodos e as modernas ferramentas de gestão organizacional: arquitetura, benchmarking, empowerment, gestão pela qualidade total, reengenharia. São Paulo: Editora Atlas, 2001.

ARGENTI, Paul A. Comunicação empresarial. 2.ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento organizacional: a teoria e a prática de inovar. Rio de Janeiro: Campos, 2005.

____________________. Os novos paradigmas: como as mudanças estão mexendo com as empresas. São Paulo: Editora Atlas, 2000.

____________________. Recursos Humanos. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

____________________. Teoria Geral da Administração. 11.reimp, Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2002.

DESIDÉRIO, Mariana. Principais erros que destroem uma empresa familiar. Revista Exame Online, 2016. Disponível em: http://exame.abril.com.br/pme/os-principais-erros-que-destroem-uma-empresa-familiar/. Acesso em: 2 set. 2017.

DRUCKER, Peter Ferdinand. Administrando em tempos de grandes mudanças. Trad. Nivaldo Montigelli Jr. São Paulo: Pioneira, 2006.

FISCHER, Augusto. Mudança organizacional na universidade: o caso da UNOESC – campus de Videira – SC. 159f. Dissertação (Pós Graduação em Engenharia da Produção). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2001.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed., São Paulo: Editora Atlas, 2010.

GUIMARÃES, Geraldo, NETTO, Roberto L, RECHTMAN, Marcos. Nova estrutura: reinventando sua empresa. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2004.

LIMA, Suzana Maria Valle. Mudança organizacional, teoria e gestão. São Paulo: FGV Editora, 2003.

LUZ, Ricardo. Gestão do clima organizacional. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

MAXIMIANO, Antônio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 6.ed, São Paulo: Editora Atlas, 2009.

MOTTA, Fernando Claudio Prestes; VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia de. Teoria Geral da Administração. 3.ed., São Paulo: Editora Cengage, 2006.

MOURA, Gizela Garcia. Comportamentos de resistências à mudança da média gerência diante da implantação da NBR ISO 9000. Dissertação (Mestrado em Engenharia de produção). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

NERI, Raniey da Silva. Os 10 passos para desmotivar uma equipe. Administradores, 2014. Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/os-10-passos-para-desmotivar-uma-equipe/75950/. Acesso em: 13 set. 2017.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Teoria Geral da Administração: uma abordagem prática. 2.ed, São Paulo: Editora Atlas, 2010.

OLIVETTE, Cris. Qual é a melhor hora de profissionalizar a sua empresa. Economia e Negócio. São Paulo: Estadão, 2017. Disponível em: http://economia.estadao.com.br/blogs/sua-oportunidade/qual-e-a-melhor-hora-de-profissionalizar-a-sua-empresa/05/03/2017-07h38/. Acesso em: 15 nov. 2017.

RICCA, Domingos. Sucessão na empresa familiar: conflito e soluções / colaboradores. São Paulo: Editora CLA, 2007.

SCHERMERHORN, John R. Fundamentos de comportamento organizacional. 2.ed., São Paulo: Editora Bookman, 2005.

SILVA, José Maria da; SILVEIRA, Emerson Sena da. Apresentação de trabalhos acadêmicos: normas e técnicas. 4.ed, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

01-02-2018

Como Citar

Rugai, T. A., Lima, A. C. F. de J., Oliveira, B. M., Alves, D., & Borges, J. F. S. (2018). 12. Os impactos do processo de estruturação de uma empresa familiar de transporte em seu clima organizacional. Revista Científica UMC, 3(1). Recuperado de https://seer.umc.br/index.php/revistaumc/article/view/219

Edição

Seção

Artigos - Área Humanidades e Sociais Aplicadas